Pioneirismo chines, tratamento de câncer e aquela pílula lá..

Tempo de leitura : 5 min

Que a china tem avançado em aspectos econômicos e científicos não é novidade alguma. Lembro que enquanto aluno da graduação, em meados de 2000, um professor comentava do grande número de alunos chineses e indianos nas universidades norte americanas. De fato, em 2005 eles representavam cerca de 10% do total de estudantes. Hoje esse número corresponde a 30% aproximadamente, conforme dados do instituto de educação internacional (IIE). Para efeito comparativo, o Brasil apareceu em 6º com 2.4% dos estudantes em universidades americanas. Porém estes números devem cair vertiginosamente devido últimas notícias do fim do ciência sem fronteiras.

Aqui, gostaria de dar atenção  a notícia publicada na Nature,  que de certa conversa bem com os investimento em educação e ciência da china. Os chineses que serão os primeiros a injetar em humanos células modificadas utilizando uma técnica de engenharia genética chamada CRISP-CAS9 .

Já de início sugiro a leitura  do excelente texto publicado no Gizmodo: Tudo o que você precisa saber sobre a CRISPR, nova ferramenta de edição de DNA, para um entendimento mais aprofundado do que escrevo aqui.

Uma equipe liderada por Lu You, um oncologista do Hospital da China Ocidental da Universidade de Sichuan em Chengdu, planeja começar a testar tais células em pessoas com câncer de pulmão no próximo mês. O ensaio clínico recebeu aprovação ética do conselho de revisão do hospital em 6 de Julho.

“É um passo importante”, diz Carl June, um pesquisador clínico na imunoterapia da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia. Nos últimos anos, tem ocorrido um grande número de ensaios clínicos, incluindo uma conduzida por Carl, que tem ajudado pacientes portadores de HIV.

Carl é um dos consultores científicos que estão avaliando o uso de células CRISPR para o tratamento de câncer, porém o estudo ainda requer uma aprovação do FDA (food and drugs administration).

Os testes chineses irão inscrever pacientes apenas com câncer de pulmão cujo os tratamentos tradicionais não foram efetivos.  Atualmente, as opções de tratamento são limitadas e esta nova técnica é uma grande promessa.

A equipe de Lu You irá extrair células do sistema imunológico dos pacientes, denominadas de células T. Posteriormente irá usar a tecnologia CRISPR-Cas9 para obter um gene nas células. Desta forma o gene é capaz de codificar uma proteína chamada PD-1 que normalmente atua como um controla a capacidade da resposta imune. Desta forma,  impedindo de atacar as células saudáveis.

As células editadas por genes irão então ser multiplicadas no laboratório e reintroduzidas na corrente sanguínea do paciente. As células manipuladas vão circular e as esperanças da equipe, em casa sobre o câncer, diz Lu. O julgamento US planejado semelhante tem a intenção de derrubar o gene para a PD-1, e que também irá bater para fora um segundo gene e inserir um terceiro antes de as células são reintroduzidas no paciente.

No ano passado, a FDA aprovou para uso contra câncer de pulmão duas terapias baseadas em anticorpos que bloqueiam a PD-1 . Mas é difícil de prever para um dado paciente, em que medida estes anticorpos irão bloquear DP-1 e ativam a resposta imune.

Por outro lado, com maior segurança, enquanto multiplicando as células aumenta a chance de uma resposta. “Vai ser muito mais poderoso do que os anticorpos”, diz Timothy Chan, que faz a pesquisa clínica na imunoterapia no Memorial Sloan Kettering Cancer Center, em Nova York. China teve uma reputação de movimento rápido – às vezes muito rápido – com CRISPR, diz Tetsuya Ishii, um bioeticista da Universidade de Hokkaido em Sapporo, Japão.

De acordo com Lu, sua equipe foi capaz de mover-se rapidamente, porque eles têm experiência com ensaios clínicos de tratamentos de câncer. Para Carl não é surpresa que um grupo chinês poderia saltar para a frente de um teste como este: “A China coloca uma alta prioridade na investigação biomédica”

Ishii observa que, se o ensaio clínico começa como planejado, seria o último de uma série de estreias para a China no domínio da edição gene CRISPR, incluindo os primeiros embriões humanos editado-CRISPR , e os primeiros macacos editado-CRISPR . “Quando se trata de edição gene, China vai em primeiro lugar”, diz Ishii.

Enquanto isso, essa semana nós iniciamos, equivocadamente, estudo clínicos utilizando a Fosfoetanolamina em pacientes em casos terminais, sobre isso já escrevi aqui: A Pílula do Câncer – pt. 1, aqui  A Pilula do Câncer – pt. 2, e aqui A Pílula do Câncer – pt. 3,  o qual não pretendo retornar tão cedo no assunto.

Leituras e Referências

Nature News : Chinese scientists to pioneer first human CRISPR. trial. 21/julho 2016.(Artigo principal traduzido)

Nature News :First monkeys with customized mutations born. 30/janeiro/ 2014.
Nature News :CRISPR, the disruptor. 03/junho 2015.

G1: Pacientes do SUS começam a testar a ‘pílula do câncer’ em São Paulo. 25/julho 2016.

Gizmodo: Tudo o que você precisa saber sobre a CRISPR, nova ferramenta de edição de DNA. 8/maio 2015.

Dados IEE :International Students in the United States