A ciência é arrogante?

Tempo de leitura : 8 min

Era uma vez um sábado nublado da pauliceia, onde no final daquela tarde eu compartilhava da companhia de uma colega de longa data. Porém o sábado que poderia ser demasiado tranquilo, como tantos outros, ficou devido alguns rumos que algumas conversas caminharam.  A sim…o assunto em questão foi física quântica. Eu com minha natureza inerente curiosa às interpretações, deixei a conversa rolar, sem concordar ou opinar sobre o que ali diziam.Não demorou para notar que o assunto que ora se apresentava como quântico, se tratava apenas de abstrações sem coerência, inclusive com conceitos que até então deixei aberto a liberdade das novas ideias. Mas o que eu ouvia eram apenas arguições construídas sem o menor sentido lógico ou racional. Muito dos substantivos ali usado não estavam sendo usado com o seu significado.

Naquela altura eu já estava um pouco de saco cheio daquela conversa que ouvia, ainda mais por saber que se tratava de uma educadora ( sabe-se lá se ela já passou essas informações como educadora para outras pessoas) questionei se ela sabia o que era física quântica estudava? e como as pesquisas nessa área eram desenvolvidas. Porém as respostas, sem coerência, frases sem sentido físico e jargões um tanto desconexo com a própria realidade. Cheguei a comentar um pouco do que lembro do Griffith* sobre a física quântica, mostrando que o que ela falava era outra coisa, não física quântica. Inclusive alertando ao fato dela possivelmente passar a informação dela, baseada em crenças e achismos por ela ser educadora.

A conversa não terminou com sorrisos, pois eu devo ter sido um pouco arrogante em alguns momentos na forma como expus a informação incorreta dela. Isso eu admito de forma incontestavelmente. Passou-se algumas semanas daquela conversa inflada e avistei a moça em duas oportunidades, porém não conseguir me desculpar pela forma que agir. Inevitavelmente por não ter me reconhecido, o que acho difícil, ou pelos motivos já expostos.

A história citada serve um pouco pra exemplificar um ponto. A ciência é arrogante? Pois entre as coisas que eu ouvir da pessoa era que a ciência era arrogante. O fato é que o conhecimento deturpado de conceitos físicos bem estabelecidos raramente caem na mão dos cientistas e muitos preferem não reagir. No entanto, não há como negar a proliferação de conhecimentos holísticos baseado no que vou chamar de “semi-conhecimento” dos termos. Se a moda agora é cura quântica, misticismo quântico, isso se deve muito aos avanços e a credibilidade que o assunto teve nos últimos anos que levaram em avanços tecnológicos para nossas vidas. Porém a proliferação de conhecimentos holísticos, usado repetidas vezes, usando conceitos científicos podem por hora colocar em cheque o prestígio que a ciência alcançou.

Pode  parecer um pouco improvável que pessoas morram por defender uma ideia científica, porém, muitas correm o risco quando negam a realidade ou usa crenças para desqualificar o conhecimento e tecnologias promissoras. Um exemplo extremamente atual foi o caso da promessa milagrosa da cura do câncer como relatei em tantos outros textos por aqui [ver em 1 2 3 4]

Mas quais as razões que levam a dizer que a ciência é arrogante? Moises Wasserman, professor da universidade Nacional, listou alguns dos principais argumentos  nos quais essas declarações se baseiam:

  1. Porque ela “acredita” possuir a verdade absoluta e ignora crenças denominadas como falsas, embora “todo mundo saiba” que a verdade, cientificamente, é relativa e que todos têm o direito de pensar o que bem entender;

  2. Porque ela fala um idioma que só eles entendem, possivelmente com a intenção de manter coisas escondidas, muitas vezes como sagradas.

  3. Porque as novas tecnológias, oriundas do avanço do pensamento científico  são capazes de mudar o mundo, embora se reconheça que deu a maioria das pessoas em média um maior bem-estar, as vezes é colocadas em perigos apocalíptico;

De  certo modo é coerente afirmar que a ciência é uma busca em alcançar o verdadeiro conhecimento e também é verdade que tem sido bem sucedido nisso. Porém é igualmente falso afirmar que ela é a dona da verdade absoluta. A ciência moderna antes de tudo  uma metodologia para distinguir eficientemente entre a “aparente verdade” e  “a verdade” e, portanto, tem a capacidade de abordar este último, por uma maneira relativamente simples, sem os contratempos em outros campos que produziram crenças irracionais, dogmas, ideologias e os interesses de um grupo.

Como Karl Popper, um dos maiores filósofos da ciência do século passado, diz que método científico pode ser resumido em uma proposta:”Talvez eu esteja errado e você pode estar certo, com um esforço dos dois, pode se aproximar da verdade “. A forma como este método funciona de maneira muito simples pode ser resumido como uma instrução; cientista recebe um conhecimento estabelecido, um corpo teórico. Com sua curiosidade confronta contra a realidade (por observação ou experimentação) geralmente fazendo uma previsão que deve ser cumprida se a hipótese for verdadeira. Se houver um fato que não pode ser explicado, uma previsão de que não é satisfeita, propõe uma nova hipótese que explica o mesmo que o anterior mediantes aos novos fatos. Esta hipótese invariavelmente dá origem a novos problemas e questionamento.

Assim,  ele mesmo ou  outros devem apresentar e fazer novos testes na “teoria” proposta e substituir por uma melhor com mais profundidade e com mais capacidade explicativa e preditiva.

É um processo de seleção onde sobrevivem hipótese mais forte, e por que, embora não se possa garantir que a nova hipótese seja  verdadeira, ele pode assegurar que a forma conclusiva acima é falsa. A tirinha a seguir dá um bom exemplo do pensamento científico que foi apresentado. Mafalda dá um excelente exemplo de como o sistema funciona

text4148

Miguelito fez a seguinte reflexão é: “Se fosse verdade que nascemos em um repolho, por que tem que ser verdade sobre a cegonha e falso como repolho. Finalmente apresenta a hipótese do repolho com tanta ou mais validade cientifica que para cegonhas. Porém Mafalda argumenta:”e onde ficam os repolhos para nascer esquimós?” O argumento é esmagador para teoria dos repolhos que foi equiparado as cegonhas. É claro, que a falta de explicação, embora desconfortável e instigante para os cientistas não invalida a teoria, pois há fatos que são verdadeiros, mas no momento não podemos explicar. Porém a teoria pode fazer previsões só que Miguelito esqueceu de confrontar ela com a realidade observável.  

E meio obvio que deva haver repolhos em todos os lugares onda as crianças nascem, porém como expôs Mafalda. No Alasca há crianças mas não há repolhos. E portanto a hipótese dos repolhos é falsa. Porém a hipótese das cegonhas como bem sabemos, também é irreal. Pois da há lugares que cegonhas não podem voar e situações que elas não voam e mesmo assim, crianças continuam nascendo. Porém, a situação acima exemplifica um caso que pode acontecer com crianças, que poderiam confortar suas hipóteses baseadas nas evidencias observáveis

Miguelito é arrogante porque ele diz conclusivamente que a teoria das cegonhas é falsa? Eu tenho certeza que a maioria dos leitores aqui vai concordar comigo que a posição do Miguelito é perfeitamente correta; Além disso, não há nenhum desrespeito a falsas teoria, embora estas estão muitas vezes enraizadas em tradições e crenças populares. Talvez a história dos repolhos sejam um pouco infantil para 2016, porém, astrologia, homeopatia entre outras que o Rogério, o pato culto sabe muito bem.[leia mais sobre em 4 5 6 ]

12373400_964252960324371_4477646686084205234_n

Em ciência, a ideia não é vencer um debate, mesmo que para alguns isso seja algo pessoa natural ao ego humano, mas analisar a qualidade dos argumentos, dos fatos e observações do mundo em sua volta. Na academia, não tão frequente quanto deveria, mas acontece dos cientistas mudarem quando dispostos de um argumento melhor. Isso por si só representa grande parte dos avanços que aconteceram no mundo em sua volta. Algo que não é comum acontecer nas religiões, crenças ou política.

A ciência não e arrogante porque declaram que algumas teorias são falsa. Pelo contrário, é modesta, pois é baseada na dúvida permanente, sempre disposta a ser refutada na proposição de novas evidências e assim permitindo construir grande parte do conhecimento que descreve a realidade. O cientista só pode mudar quando uma nova proposta, evidência e força inexplicável e então, não só pode, mas é e obrigação fazer. Porém, no entanto, há cientistas arrogantes sim, assim como músicos, pastores, advogados e qualquer outra atividade feita por humanos.

Gostou? Siga a página no Facebook também Unidades Imaginárias

Referencias e leituras

 

El tiempo : ES ARROGANTE LA CIENCIA

Popper,K. The logic of Scientific Discovery,1934( especialmente capitulo 7)

Sagan, C. O mundo assombrado pelos demônios( o livro todo mesmo)

Anti-cast- 194- A ciência é cética?

Coisas que vieram da minha cabeça enquanto escrevi